domingo, maio 27, 2012

Ter filhos como forma de solucionar conflitos

Quando certos casais chegam a entrar em crise nas suas relações amorosas, motivada por agressões, ciúmes, infidelidade conjugal, tédio, ou outras razões, passam a pensar que a vinda de um filho resolveria o problema; assim muitas crianças nascem com o propósito de resolver um caso amoroso.


Em alguns casos, a vinda de uma criança se revela poderoso fator de união de um casal cujas relações desmoronavam. Isto acontece, sobretudo, com casais "entediados". Na maioria das vezes, porém, a natureza dos conflitos independe completamente da falta de filhos e a vinda destes serve apenas para irritar ainda mais os nervos do casal; e a situação se complica, pois as crianças reagem, sob forma de indisciplina, neurose ou instabilidade, às divergências paternas; o ambiente piora em vez de melhorar.


Quem quiser ter filhos, que resolva, primeiro, os seus conflitos pessoais.


Pierre Weil
em Amar e ser amado.

sexta-feira, maio 18, 2012

A dupla transferência

Um casal já maduro estava participando de um curso de desenvolvimento pessoal. Na primeira noite a mulher sumiu. Só reapareceu na manhã seguinte, quando postou diante do marido e lhe disse: "passei a noite com meu amante".

Com outras pessoas essa mulher se mostrava atenciosa e interessada. Só diante do marido ficava fora de si. Os outros não conseguiam entender. Por outro lado, o marido também não conseguia se defender.

Apurou-se durante o curso que essa mulher, quando criança, era mandada para o campo com a mãe e os irmãos, durante o verão, por ordem do pai. Ele ficava na cidade com sua amante e, às vezes ia com ela visitar a família. E sua mulher os servia, sem queixas nem recriminações. Ela reprimia sua raiva e sua dor, e os filhos percebiam isso.

Essa atitude, que alguns chamariam de virtude heróica, tem um péssimo efeito. Pois, nos sistemas humanos, a raiva reprimida volta à tona mais tarde, justamente nas pessoas que menos podem defender-se contra ela. Na maioria das vezes, nos filhos ou netos, eles sequer chegam a tomar consciência disto.

Nesse caso houve um duplo deslocamento da emoção reprimida.
Em primeiro lugar, para um outro sujeito: da mãe para a filha.
Em segundo, para um outro objeto: o pai culpado para o marido inocente. Tornou-se vítima a pessoa menos apta a se defender, porque amava a ofensora.

Portanto quando os inocentes preferem sofrer a agir, aumenta o número de vítimas inocentes e de ofensores culpados, perpetuando-se o ciclo de sofrimentos.

Em nosso exemplo, asolução teria sido que a mãe da mulher se zangasse abertamente com o marido. Aí ele seria obrigado a tomar uma atitude, o que levaria a um recomeço ou a uma clara separação.

Nesse caso, demonstra-se ainda que quando a filha  vinga a mãe, ama não somente a ela, mas também ao pai. Pois ela o imita, agindo com o marido da mesma forma que o pai agia com a mãe.

Esse é um dos exemplos do que o trabalho de constelação familiar desvenda.
Culpa e inocência nos relacionamentos
por Bert Hellinger

sexta-feira, maio 11, 2012

A mulher, o alquimista e a busca……




 Era uma vez uma mulher que se sentia muito insatisfeita em todos os níveis e foi consultar uma cartomante que lhe disse que a causa de todos os seus infortúnios era um sapo seco, guardado numa caixa, que foi enterrado no bairro em que ela morava na intenção da manutenção desses infortúnios.

 E partir disso, ela saiu por seu bairro que era muito grande, procurando áreas vazias onde ela pudesse cavar para encontrar a tal caixa com um sapo seco dentro, que era a causa de todos os seus infortúnios. Todos os dias essa mulher era vista pelo bairro com uma enxada na mão, cavando, cavando, procurando a tal caixa com o sapo seco dentro que era a ………………………………. .

 Um dia, ao cavar num lote vago num lugar bem ermo do bairro, ela sentiu que a enxada bateu n’alguma coisa que fez um barulho como se fosse uma caixa de madeira. Ao cavar mais atentamente e com cuidado, ela viu surgir da terra uma caixa de madeira com aspecto muito antigo e, limpando-a por cima, viu que havia em sua tampa uns escritos talhados que diziam que aquela caixa pertencera a um alquimista, que a enterrou ali e, ali dentro, estava o fruto de anos de trabalho e de pesquisas. A data inscrita datava mais de 200 anos atrás.

 Ao abrir a caixa, a mulher se deparou com muitas pedras caríssimas, como enormes diamantes e esmeraldas e muitos vidros com rótulos antigos que diziam: elixir da beleza eterna, elixir da alegria interior profunda, elixir da sabedoria, elixir da serenidade interior completa, elixir da paz celestial, elixir da simplicidade, e tantos outros elixires que despertavam muitos outros atributos divinos.

 Olhou tudo e disse: – Não é isso que estou procurando! Ela fechou a tampa da caixa, devolveu a terra por cima e saiu dali com sua enxada na mão procurando uma caixa que continha um sapo seco dentro, que era a causa de todos os seus infortúnios.

 Adaptado e reescrito por Hércoles Jaci


quarta-feira, maio 09, 2012

O que é Auto Sabotagem???


mipulso

O assunto aqui é dos mais difíceis: a nossa relação mais íntima conosco mesmo. Por que será que fazemos "gol contra"? Pq será que puxamos nossos próprios tapetes? Uma vez lá pelo ano de 1987 conheci uma moça no Rio de Janeiro que tinha uma voz belíssima. quando foi reconhecida por agentes e estava agendada para entrar num estúdio para gravar um disco numa das melhores gravadoras, perdeu a voz e a chance. Nunca mais conseguiu....


 Quando colocamos casca de banana em nosso caminho para acontecer uma queda, quando deletamos uma oportunidade ou uma situação altamente positiva que já estava certa e pronta para acontecer. Claro que estamos falando de trabalho de bastidores, do inconsciente, do nosso lado sombra, de uma periferia marginalizada do nosso psiquismo sem assistência da luz da consciência, sombra essa muitas vezes manipulada pelo ego, que tem interesse na manutenção disso. Pode ser chamada também de inveja de si mesmo(a), que é infinitamente pior e danosa que a inveja que vem dos outros. Para nos livrar dessa auto-sabotagem é necessário atenção/alerta e união interna, através de uma meta forte, de um propósito firme, arregimentando todas as nossas divisões, fazendo delas um exército único. Com essa força, precisamos fazer com que tudo dentro de nós tome nosso “partido”, assim nada fica partido, ficamos inteiros seguindo o vetor de nossas metas e propósitos alinhando-os com os planos superiores e tornando- nos uma UNIDADE.
Claro que isso é trabalho para uma vida inteira, de todos os dias.....Daí: *“Onde Deus passa nada embaraça”*., nem mesmo a auto-sabotagem ou tal inveja de si mesmo podem segurar ou impedir nosso êxito....

Deixa acontecer

As coisas acontecem quando você menos espera, as coisas acontecem quando você não as força, as coisas acontecem quando você não está an...