segunda-feira, agosto 27, 2012

Dia do psicólogo: SER TERAPEUTA

 


O papel do terapeuta é uma questão muito delicada e complexa.
Em primeiro lugar, o próprio terapeuta sofre dos mesmos problemas que ele está tentando resolver nos outros. O terapeuta é meramente um técnico. É possível que consiga fingir e enganar a si mesmo de que ele é um mestre – este é o grande perigo de ser um terapeuta. Mas basta um pouco de compreensão e as coisas não serão as mesmas.

Primeiramente, não pense em termos de ajudar os outros. Isto dá-lhe a impressão de ser um salvador, de ser um mestre – e pela porta dos fundos o ego volta a entrar. Você torna-se importante, você é o centro de grupo, todos estão olhando para você.

Esqueça a idéia de ajudar. Ao invés de “ajudar” use a palavra “compartilhar”. Você compartilha o seu insight, compartilha tudo o que você tem. O paciente não é alguém inferior a você. O terapeuta e aquele que se submete à terapia estão ambos no mesmo barco; o terapeuta é apenas um pouco mais instruído. Esteja consciente do fato de que seu conhecimento é emprestado. Nunca se esqueça, nem por um momento, que aquilo que você sabe ainda não é sua experiência própria, e isso ajudará as pessoas.

O homem é um mecanismo muito sutil. Ele funciona do dois lados: o terapeuta começa a tornar-se o mestre, e o ao invés de estar ajudando, está destruindo algo no participante, porque este também aprenderá unicamente a técnica. Não haverá um compartilhar de amor e carinho, não haverá uma atmosfera de confiança, mas sim uma atitude de “você sabe mais, eu sei menos .
 
Seja desde o principio uma pessoa autentica, amorosa... e eu faço absoluta questão de insistir que nada há mais terapêutico do que o amor. A técnica pode ajudar, mas o verdadeiro milagre acontece através do amor. Ame as pessoas que participam da terapia, torne-se uma delas, sem a menor pretensão de ser superior ou mais santo.
Deixe claro, logo de inicio: “ essas são as técnicas que aprendi, e um pouco da minha experiência. Eu lhes darei as técnicas e compartilharei minha experiência...
Em outras palavras, estou falando de um conceito totalmente novo de terapia. O terapeuta é um mero coordenador. Ele tenta apenas tornar o grupo mais silencioso, sereno; ele permanece atento para que nada saia errado....é mais guardião do que mestre.
E também deve deixar claro: “também estou aprendendo enquanto você comartilha sua experiência".
 
 E quando estou ouvindo vocês, não se trata apenas dos seu problemas; esses são também meus problemas. E quando estou dizendo algo, não estou apenas dizendo, estou também escutando.”
Na verdade, ao compartilhar os seus segredos, as suas fraquezas, as suas vulnerabilidades, você torna os outros mais seguros, mais amorosos, mais confiantes em você. A sua confiança desperta a confiança deles em você, e quando vêem que você é  tão aberto e tão disponível, eles começam a se abrir; esta é uma reação em cadeia.
 
Palavras de Osho
 
feliz dia do psicólogos a todos queridos colegas,
que possamos reconhecer a grandeza dessa profissão tão linda.
 

domingo, agosto 26, 2012

Confusão!



 
"Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!
 
 
 
existem coisas na vida que nos chamam, são aquelas que queimam dentro e enquanto não realizamos não conseguimos seguir adiante...

sábado, agosto 25, 2012

Qual o tamanho da régua que mede você?



"Ninguém pode fazer você se sentir inferior sem seu consentimento"
 Eleanor Roosevelt


Podemos cair e ficar choramingando ou nos levantar e enfrentar os mais diferentes adversários com nossa dignidade e auto-estima.
Não deixe na mão do outro a régua que mede seu valor.
A mais atraente de todas as qualidades chama-se DIGNIDADE!

quinta-feira, agosto 23, 2012

Você consegue se desapegar?


"Agradeça a todas as pessoas, coisas e fatos que se vão.

 Novas e boas coisas estão chegando. Ao abandonar o passado, agradeça a ele. Não persiga quem se afasta de você.

 Abandone o apego. As pessoas se vão porque já cumpriram a tarefa de contribuir de algum modo para o desenvolvimento de sua alma. Se alguém quer se afastar de você, agradeça-lhe por tudo e deixe-o partir. Neste momento, prepara-se uma “vaga” para ser ocupada por um novo amigo ou um novo amor."

 
Masaharu Taniguchi

 

sábado, agosto 18, 2012

Estamos aqui só de passagem...


"Num momento estava lá, no momento seguinte desapareceu.
Em determinado momento, estamos aqui, e em outro momento já passamos.
E por este simples momento, quanta confusão nós armamos, quanta violência, ambição, luta, conflito, raiva, ódio.
Apenas por um momento tão breve!
Estamos tão-somente aguardando o trem na sala de espera de uma estação, e criando tanta confusão!"
...

terça-feira, agosto 14, 2012

Despir-se de si mesmo..


Cada individualidade é uma manifestação do viver total: é preciso buscar o que é comum e o que é especifico, sendo assim é essencial o constante retorno da parte ao todo e vice-versa.
Compreensão não é um procedimento fechado: nada pode ser entendido de uma só vez e de uma vez por todas.

Psicoterapia nesse sentido revela-se um processo artesanal, onde não há observador imparcial, o investigador é parte da realidade que investiga.
Pensando sob o ponto de vista que a psicoterapia é por si só um processo dialético, que se torna a arte de pensar, interrogando, buscando ao mesmo tempo o consenso e as contradições. Não existem generalizações, considerando que desde o primeiro encontro se revela em permanente desenvolvimento, ao mesmo tempo parte de uma verdade maior.

Metodologicamente é necessário desvendar as múltiplas relações das coisas entre si, que elege a intersubjetividade como chão de análise; as contradições internas dos fenômenos apresentados pelo paciente, cliente, como queiram.

Algumas pessoas me perguntam como sei se a pessoa está mentindo ou não, sendo que para  a psicoterapia, na perspectiva fenomenológica, o contexto da experiência é também o lugar da falsidade fática.  Há para o terapeuta a necessidade de ir além da história pessoal e demarcar o contexto sócio-histórico que se insere aquela vida que ali se apresenta a ele.

Sendo assim, a mentira é também parte da história daquele que se apresenta, pode representar uma verdade inconsciente, um desejo, uma pulsão.

Para compreender o outro tem que se despir de si mesmo, sem haver uma verdade pronta e ter disposição e capacidade de se surpreender. A princípio não interpretar e sim escutar, porisso a psicoterapia é a arte de desenvolver constantemente a empatia.

Busca-se sentido e não a verdade essencialista...
Postura de respeito: exige um teor de racionalidade nos contextos e atores analisados, entendendo a linguagem como espaço de consensos e contradições onde se estabelecem diferenças, contrastes, dissensões e rupturas de sentido.

Na psicoterapia, ou processo psicoterapêutico  Liberdade e necessidade se  condicionam mutuamente

Sendo assim a psicoterapia, na perspectiva fenomenológica, é um espaço que pretende Superar a dicotomia entre estrutura e sujeito, entre qualidade e quantidade, entre objetividade e subjetividade.

sábado, agosto 11, 2012

Não deixe para depois

"Se você ama, diga que ama. Diga o seu conforto por saber que aquela vida e a sua vida se olham amorosamente e têm um lugar de encontro. Diga a sua gratidão. O seu contentamento. A festa que acontece em você toda vez que lembra que o outro existe. E se for muito difícil dizer com palavras, diga de outras maneiras que também possam ser ouvidas. Prepare surpresas. Borde delicadezas no tecido às vezes áspero das horas. Reinaugure gestos...
 Mas, não deixe para depois. Depois é um tempo sempre duvidoso. Depois é distante daqui. Depois é sei lá...

Ana Jácomo

sexta-feira, agosto 10, 2012

Quando é definitivo

musicisallforwe:

”Eu não existo longe de você E a solidão é o meu pior castigo Eu conto as horas Pra poder te ver Mas o relógio tá de mal comigo”"Quem quer sair de uma história, cala-se e vai embora.
As grandes dores são mudas.
E decisões definitivas não se demoram em explicações."

Marla de Queiroz


é bem verdade que durante uma terapia de casal enquanto vemos os parceiros brigando, discutindo,
consideramos um sinal,
pois é uma pista de que ainda querem estar juntos,
estão lutando pelo relacionamento.
Mas quando o silêncio, a resignação e até falta de discussões e desentendimentos, perdura

pode ser que já tenham desistido um do outro.

terça-feira, agosto 07, 2012

Auto sabotagem é um mecanismo de defesa do ego?



Pois é! Parece que aquela velha história do “ter medo de ser feliz” não é apenas uma impressão ou mania de perseguição de terceiros! As pessoas realmente preferem se auto-sabotar a correr o risco de sofrer uma rejeição, perder dinheiro, não passar no concurso ou não ser contratado.
Às vezes parece ser mais fácil inventar um motivo ou uma desculpa para uma possível derrota, que normalmente é mais psicológica do que real, e assim sabotar a possibilidade de uma vitória, do que encarar os resultados sabendo que fez o melhor.
É aquela velha questão: é melhor se arrepender de ter feito alguma coisa e não ter dado certo do que se arrepender de não ter feito nada?
 (o que indica que não se correu nenhum risco, ou seja, sequer tentou fazer com que algo desse certo).

É sempre muito mais fácil se esconder atrás de desculpas, ou pior, colocar a culpa em pessoas e situações exteriores (“eu não fui bem na prova porque fui em uma festa na noite anterior e os amigos ficaram me oferecendo bebida”) etc.
Alguns estudos mostram que, apesar de essa ser uma forma de defesa do ego, no médio e longo prazo acaba sendo muito pior do que seria se a pessoa tivesse enfrentado os seus demônios interiores e conseqüentemente, a situação exterior.

Lembre-se: desistir é fácil; difícil é largar o hábito de desistir.

Os psicólogos vêm estudando esse tipo de comportamento desde pelo menos 1978, quando Steven Berglas e Edward Jones começaram a utilizar a expressão “auto-sabotagem” para descrever os estudantes participantes de um estudo que optaram por usar uma droga que supostamente inibiria seu desempenho em uma prova (ainda que a informação não procedesse e a droga em questão na verdade fosse inerte).
Essa pulsão vai bem além de um simples rebaixamento generalizado de expectativas e tem mais a ver com a proteção da autoimagem do que com os conflitos psicológicos enraizados no desenvolvimento inicial da personalidade, em sentido freudiano.

Pesquisas recentes ajudaram a esclarecer não só que tipo de pessoa se sente mais inclinada a sabotar suas próprias chances como as consequências dessa atitude.
“É como aquela fala do velho filme Sindicato de Ladrões, com Marlon Brando: “eu poderia ter disputado o título”, disse Hirt. “

Há  longo prazo, para algumas pessoas pode ser mais fácil conviver com isso do que saber que fizeram o melhor que podiam e fracassaram

Deixa acontecer

As coisas acontecem quando você menos espera, as coisas acontecem quando você não as força, as coisas acontecem quando você não está an...