domingo, setembro 22, 2013

Quem é você? Quem sou eu?




Quero saber qual a sua dor
e se você tem coragem de encontrar o que seu coração anseia. 

Não me importa saber sua idade.

Quero saber se você se arriscaria parecer com um louco por amor,
pelos seus sonhos, pela aventura de estar vivo. 

Não me importa saber quais planetas estão quadrando sua lua. 

Quero saber se você tocou o âmago de sua tristeza,
se as traições da vida lhe ensinaram, ou se você se omitiu por medo de sofrer. 

Quero saber se você consegue sentar-se com as dores, minhas ou suas,
sem se mexer para escondê-las, diluí-las ou fixá-las. 

Quero saber se você pode conviver com a alegria, minha ou sua,
se pode dançar com selvageria e deixar o êxtase preenchê-lo
até o limite sem lembrar de suas limitações de ser humano. 

Não me importa se a estória que você me conta é verdadeira.
Quero saber se você é capaz de desapontar o outro
para ser verdadeiro para si mesmo.

Se pode suportar a acusação da traição e não trair sua própria alma.

Quero saber se você pode ser fiel e conseqüentemente fidedigno. 

Quero saber se você pode enxergar a beleza
mesmo que não sejam bonitos todos os dias,
e se pode perceber na sua vida a presença de Deus.

Quero saber se você pode viver com as falhas, suas e minhas,
e ainda estar de pé na beira do lago e gritar para o prateado da lua cheia…? Sim?! 

Não me importa saber onde você mora ou quanto dinheiro tem. 

Quero saber se você pode levantar depois de uma noite de pesar e desespero,
exausto, e fazer o que tem de fazer para as crianças. 

Não me importa saber quem você é, ou como veio parar aqui. 

Quero saber se você estará ao meu lado no centro do fogo sem recuar.

Não me importa saber onde, o que, ou com quem você estudou. 

Quero saber o que sustenta o seu interior quando todo o resto desaba. 

Quero saber se você pode estar só consigo mesmo
e se verdadeiramente gosta da companhia que carrega em seus momentos vazios. 

sexta-feira, agosto 16, 2013

O que você está esperando?



Estamos sempre esperando que apareça a pessoa certa, ou a situação certa, antes de nos sentirmos bem.
Mas quem determina se é a pessoa ou situação certa?
Quando você se sente bem, quem o está fazendo se sentir bem?
 Você mesmo!
Mas tem uma regra que diz que deve esperar até que A, B ou C ocorra, antes de se permitir sentir bem.
Por que esperar?




 (Anthony Robbins do livro “Desperte o gigante interior”)

domingo, julho 21, 2013

A prisão e a liberdade



Muitas pessoas acreditam que o oposto da paz é a guerra. Mas seu oposto é a estagnação.
A estagnação é uma prisão!
Olhe a sua volta e veja as pessoas correndo de um lado para o outro. O estresse é o mal de nossa sociedade atual. Todos estão correndo, mas não sabem onde irão parar. Pense agora o que realmente importa em sua vida.
Isso é liberdade! Ir ao encontro do que você deseja em teu coração, não importa o que vão dizer, pois no final das contas só vale a sua voz interna, não a do ego, mas aquela que não julga.
Então, abaixe o volume do exterior e aumente o volume do seu coração. 

segunda-feira, junho 24, 2013

O que é o medo de perder?


A segurança nunca satisfaz — e na insegurança existe o medo, medo de perder o relacionamento. Mas isso faz parte de estar vivo. Tudo pode ser perdido, nada é certo, e é por isso que tudo é tão bonito. E é por isso que você não precisa adiar um único momento: se quiser amar uma pessoa, ame-a aqui e agora. Ame-a, porque ninguém sabe o que vai acontecer no momento seguinte.
No próximo momento poderá não haver mais a possibilidade de amar, e você vai se arrepender pelo resto da vida. Você poderia ter amado, poderia ter vivido. Então o remorso envolve a pessoa, que sente o arrependimento e uma culpa profunda, como se tivesse cometido o suicídio.

A vida é incerteza. Ninguém pode torná-la uma certeza. Não há como torná-la uma certeza. E é bom que ninguém possa torná-la uma certeza, ou então ela estaria morta. A vida é frágil, delicada, sempre indo para o desconhecido; essa é a beleza. É preciso ser corajoso, aventureiro.
A questão não é saber se o outro estará presente no momento seguinte, a questão é: se ele estiver disponível para você neste momento, ame-o. Não desperdice esse momento pensando e se preocupando com o futuro, porque isso é suicídio.

 Não gaste um único pensamento com o futuro, porque nada pode ser feito quanto a ele; portanto, é um completo desperdício de energia. Ame esse homem e seja amada por ele.
É assim que eu penso: se você viver este momento totalmente, é bem provável que no momento seguinte essa pessoa ainda esteja disponível. Eu quis dizer talvez — não posso prometer a você, apenas pode ser que ... Mas a possibilidade é maior, porque o momento seguinte será o resultado deste.

 Se você amou o homem e o homem se sentiu feliz, e o relacionamento foi uma experiência linda, um êxtase, então por que ele deixaria você?
Na verdade, se você continuar se preocupando, estará fazendo com que ele a deixe, forçando-o a isso. E se você desperdiçou este momento, o próximo momento será o resultado desse desperdício; ele será detestável.

 E é assim que alguém se torna previsível para si mesmo. Continua cumprindo as suas próprias profecias. No momento seguinte você diz: “Sim, eu estava dizendo desde o início que este relacionamento não iria durar. Agora está provado.” Você se sente muito bem de certa maneira; você sente que foi muito esperto e sábio.
Na verdade, você se enganou, porque você não previu nada. Você forçou os acontecimentos para que acontecessem, porque desperdiçou o tempo que lhe foi dado, a oportunidade.

 Portanto, ame a pessoa e esqueça o futuro. Simplesmente livre-se do absurdo de pensar nele. Se puder amar, ame. Se não puder amar, esqueça a pessoa, encontre outra, mas não perca tempo.
A questão não é este ou aquele amante; a questão é o amor. O amor satisfaz, as pessoas são apenas pretextos. Mas tudo depende de você, porque tudo o que fizer com uma pessoa vai continuar fazendo com outra.
Se você faz uma pessoa feliz, por que ela deixaria você? Mas se você a fizer infeliz, então por que ela não deixaria você? Se você a torna infeliz, então eu vou ajudá-la a deixar você! Mas se você a fizer feliz, ninguém poderá ajudá-la a deixar você; então, não há o que discutir; ela irá lutar contra o mundo inteiro por sua causa.

 Portanto, torne-se mais feliz. Use o tempo que você tem — e não haverá necessidade de pensar no futuro; o presente basta. Deste exato momento em diante, tente viver o momento.
Use o momento, não para se preocupar, mas para viver. As pequenas coisas podem tornar-se lindas. Um pequeno carinho, uma alegria compartilhada, isso é tudo o que a vida é.


Osho em Como confiar nos outros e em si mesmo

quarta-feira, junho 12, 2013

Ame!!

Não pense que o amor é eterno. Ele é muito frágil, tão frágil quanto uma rosa. Pela manhã, ela está ali; ao entardecer, ela se foi. E pequenas coisas podem destruí-la.

Quanto mais elevado for algo, mais frágil será. Ele precisa ser protegido. Uma pedra permanecerá, mas a flor irá embora. Se você atirar uma pedra na flor, a pedra não se machucará, mas a flor será destruída.

O amor é muito frágil, muito delicado. Você precisa ser muito cuidadoso e cauteloso com ele. Você pode causar tal dano que o outro se fecha, fica defensivo.

Se você estiver brigando muito, seu parceiro começará a escapar; vai se tornar cada vez mais frio e fechado, de modo a não ficar mais vulnerável a seu ataque. Então, você o atacará ainda mais, porque você resistirá a essa frieza.

Isso pode se tornar um círculo vicioso, e é assim que as pessoas enamoradas pouco a pouco se separam. Elas se afastam uma da outra e acham que a outra foi a responsável, que a outra a traiu.

Na verdade, como percebo, nenhuma pessoa enamorada jamais traiu alguém. É somente a ignorância que mata o amor. Ambas queriam ficar juntas, mas ambas eram ignorantes. A ignorância delas fez com que entrassem em jogos psicológicos, e esses jogos se multiplicaram.


Osho

feliz dia dos enamorados!!!

segunda-feira, junho 10, 2013

Posso ser seu namorado ou continuo sendo apenas seu marido?



Nossa cultura romanceia o namoro,

mas imagina o casamento como



se fosse uma "tumba do amor"

--------------------------------------------------------------------------------

Certa vez no Dia dos Namorados, um amigo mandou flores para sua mulher com este bilhete: "Posso ser seu namorado ou continuo sendo apenas seu marido?".

A frase foi bem recebida. É que, para nós, "namorado e namorada" pode ser muito mais do que "marido e mulher". Em regra, nossa cultura romanceia o namoro, mas imagina o casamento como uma tragicômica "tumba do amor".

 

Uma mulher me lembrou, com razão, que até esse tal casal que vale a pena pode acabar. E perguntou: por quê?

Existe uma sabedoria popular resignada sobre a duração de um casal. Os sentimentos do namoro viveriam, no casamento, uma decadência progressiva inelutável. E os casais continuariam unidos mais por inércia do que por gosto.

Alguns dizem que a rotina e a proximidade desgastam os sentimentos. Ou seja, o apaixonamento sempre é fruto de alguma idealização, e de perto ninguém parece ideal por muito tempo. Será que o remédio seria manter a distância para não enxergar as falhas do outro?

Respondo: amar não significa não enxergar os defeitos do outro, mas achar graça neles. Uma amiga perde um celular por semana; ela sabe que uma relação amorosa está acabando no dia em que seu homem, em vez de achar graça na sua desatenção, irrita-se com seu descuido.

Outros acusam o tédio. A novidade (valor mor da modernidade industrial) seria o ingrediente essencial (e, por definição, efêmero) do casal feliz. Ou seja, felizes são só os recém-casados.

Respondo: todos nós, neuróticos, amamos a repetição e a praticamos com afinco. A rotina, portanto, não deveria nos afastar do amor.

Volto, portanto, à pergunta: por que um casal acaba? Os casais não morrem nunca de morte natural, mas por falta de cuidados, de atenções e de esforços.

 
Não é preciso que haja discordância brutal, traição ou desamor para que um casal se perca. Claro, é sempre possível racionalizar e apontar causas: no caso do filme, ao longo dos cinco anos, talvez ela tenha "crescido" profissionalmente (como se diz) e alimente agora ambições que ele não pode compartilhar porque, para ele, o casamento e a filha continuam sendo as únicas coisas que importam. Pode ser.

Mas talvez o fim de um amor seja um fenômeno tão misterioso quanto o apaixonamento. Talvez existam duas mágicas opostas, igualmente incontroláveis, uma que faz e outra que desfaz.
 

quinta-feira, junho 06, 2013

Você consegue imaginar um planeta onde o medo não existe?





Se você pudesse ter um mundo só seu como ele seria?

Depois de anos ouvindo as respostas das pessoas, tal como: um mundo sem guerras, um mundo sem brigas, um mundo colorido, um mundo que não anoitece,  um mundo sem fronteiras, um mundo de paz... parei para refletir em uma resposta:

Um mundo onde não existisse medo.

Imagina a dimensão disso?

O que representa viver sem medo? Já parou para pensar nisso?

Há algo em você que você nega existir. Algo tão forte que faz você levantar todos os dias. O motivo maior que te faz aguentar o trabalho que você não gosta, aturar um casamento sem amor, em fim. Você aguenta  porque você quer ser visto como o mais atraente, mais legal, mais sedutor, mais inteligente.  Isso é quase um desejo compulsivo: a necessidade de aprovação, que vem do medo de ser rejeitado, abandonado.

Isso acontece pois o ego é vaidoso, e ao mesmo tempo trapaceiro. O que ele pensa se mistura com o que você pensa. A necessidade das pessoas de proteger seu próprio ego não conhece limites. Elas mentem, roubam, enganam, matam, fazem o que for preciso para manter o que chamamos de fronteiras do ego. As pessoas não têm ideia de que estão numa prisão, não sabem que há um ego, não conhecem a diferença. Primeiro, é muito difícil para a mente aceitar que há algo além dela mesma. Algo mais valioso e mais capaz de discernir a verdade em si.

O ego é aquele que tem medo e que impede de transcender algumas regras, por vezes necessária para alcançar um amadurecimento.

Explico..

O medo é um fenômeno psicológico, desenvolvido em nossa mente em decorrência de uma combinação de traumas, expectativas e receios. Embora possamos tentar nos afastar dele, se a crença que o alimenta não for alterada ele continuará habitando nosso inconsciente. Não há como refugiar-se é preciso enfrentá-lo. Mas enfrentá-lo de que maneira? Primeiro aceite a idéia de que você possa realmente estar com medo e em seguida, busque toda informação possível que esclareça seus pormenores.

O Medo adoece e emburrece, pois ele reprime suas emoções e sentimentos. Você se acoa e trava. A mente não funciona e você se torna um DEPENDENTE! Similar a um viciado.

O Hemisfério Esquerdo do cérebro condicionado a não dar ouvidos ao Hemisfério Direito. Tudo precisa estar sob controle, ser controlável e previsível. Quando não há mais certezas, se perde o controle e a mente se desespera. O medo que nos é imputado pelo meio sistêmico em que vivemos, nos coloca nesses moldes sociais. Quem quer controle TEME! Quem manipula é com base no MEDO! A mente nos mente quando não se abre. Ela se fecha ao Hemisfério Esquerdo e nos prega peças, nos engana e nos ilude!

Pense agora: O que você faria hoje se não tivesse MEDO?

Quantas coisas você tem deixado de fazer por sentir medo?

Deixaria o emprego?

Viajaria pelo mundo?

Se declararia para aquele grande amor?

Se entregaria a uma paixão?
 


Deixo um vídeo que espero trazer sentido a nossas escolhas, que ainda são muito baseadas em nossos medos.

 "O que é o medo, então? O medo é o sentimento de não estar ligado à existência. Eis a definição de medo: medo é um sentimento de falta de contato com a existência. Você fica sozinho, uma criança chorando sozinha em casa, a mãe e o pai e toda a família saíram para ir ao cinema. A criança chora e soluça no berço. Foi deixada sozinha sem nenhum contato, ninguém para protegê-la, ninguém para lhe dar conforto, ninguém para amá-la; uma solidão, uma solidão imensa a envolve. Eis o estado de medo.

Isso ocorre porque você chegou a um ponto em que não deixa que o amor aconteça.

Toda a humanidade foi treinada para outras coisas, não para o amor. Para matar, fomos treinados. E os exércitos existem, anos de treinamento para matar! Para calcular, fomos treinados; faculdades, universidades, anos de treinamento só para aprender a calcular de forma que ninguém possa enganar você, mas você possa enganar os outros."

Osho



 

quarta-feira, maio 01, 2013

Você quer mesmo amadurecer?



Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. E o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.”
Fernando Pessoa

Encontro diariamente pessoas que querem muito usufruir de uma vida melhor, mas não querem ousar a inicar a mudança por medo de perder o que possuem de conhecido.
Dessa forma seguem vivendo em um universo onde fantasiam que um dia irá acontecer algo que mudará tudo. Mas dias melhores só virão se começarmos as mudanças agora mesmo.
Não se pode ganhar algo sem perder alguma coisa. Assim funciona o processo de amadurecimento
o que você está esperando??

 

quarta-feira, abril 17, 2013

Você sabe compartilhar?

CompartilharDe todas as mazelas capazes de turvar o caminho do homem, a avareza é uma das piores. Impressionante a sua capacidade de atrair a infelicidade, afastar amigos e promover a solidão doentia. Qualquer tentativa no sentido de anulá-la - por meios esotéricos, ou não, é sempre bem vinda e de utilidade pública.
No momento em que você se torna avarento, fica fechado para o fenômeno fundamental da vida: a expansão, o compartilhar.

segunda-feira, abril 15, 2013

Compulsão por Agradar!



"Não esperem que devolvam algo, nao espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio,  que entendam seu amor."


Caio F. Abreu


Pare agora e perceba quantas pessoas você tenta controlar com agrados.
É duro reconhecer, mas na maioria das vezes em que você não está sendo originalmente honesto consigo mesmo, você está buscando aprovação dos outros.
Esta busca em agradar é um comportamento nocivo, pois à medida em que você diz SIM aos demais, está dizendo NÃO a você mesmo.
Quando tenta agradar e não consegue.
Perceba como você se sente?

Sentir-se mal por não ter conseguido agradar demonstra que sua auto estima está voltada para aquilo que pensam de você! E não pelo que você genuinamente é.
Isso é uma cilada tremenda, pois ficará sempre preso a opinião alheia.
Se nem Jesus Cristo (nosso grande mestre), conseguiu agradar a todos. Quem somos nós para conseguir tamanha proeza?

Na realidade temos que nos treinar cotidianamente para deixar as pessoas gostarem de nós ou não! É um direito delas! Não tente controlar isso! É uma verdadeira prisão viver assim.


Quem se interessar pelo assunto, há muitas explicações sobre o tema no livro da psicóloga  Harriet B. Braiker

 
Apresenta a compulsão por agradar e ainda oferece um plano de ação de 21 diasA autora chama atenção para os "indivíduos agradadores, cujos julgamentos distorcidos são a causa predominante da síndrome, estão aprisionados em formas de pensar opressivas ou derrotistas que perpetuam seus problemas com a compulsão por ser gentil".

Embora sugira uma habilidade social ou a expressão de uma alma caridosa, ela é prejudicial por gerar uma preocupação excessiva em corresponder às expectativas dos outros, negligenciando a própria vontade e necessidades.

"As pessoas que agradam compulsivamente --mulheres e homens-- de quem tratei, aumentaram muito a minha compreensão sobre o preço que as pessoas afligidas por tal problema pagam em termos de saúde, relacionamentos e qualidade de vida", conta a autora.

No livro, a especialista explica o problema e sugere um programa de três semanas para aprender a dizer "não" e recuperar a autoestima devastada por longos períodos procurando conciliar desejos de gregos e troianos.









 

quarta-feira, março 27, 2013

Fobia?

"Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu."
Caio Fernando Abreu.

sexta-feira, março 22, 2013

Síndrome da insensibilidade



Você já ouviu falar em alexitimia?
Significa a dificuldade em expressar e distinguir os próprios sentimentos.
A palavra vem do grego: a = sem; lexis = palavra; thymos = coração ou afetividade.
Significando, portanto, "não há palavras para as emoções".
Pessoas assim se esforçam constantemente para cortar a percepção e a vivência de sentimentos, sendo eles de dor psíquica, ou de prazer.
Isso decorre de um conjunto de mecanismos de negação, onde ocorre um desligamento da própria vida emocional.
Alguns autores apontam a supressão das expressões emocionais sendo associada a doenças do coração e do aparelho circulatório. Enfartos cardíacos que conduzem à morte súbita foram associados à alexitimia.
Alguns tipos de trabalho podem ser propícios para o aparecimento desta síndrome. Por exemplo trabalhos muito estressantes, geram uma deteriorização da afetividade e as pessoas deixam de demonstrar empatia, desconsiderando os sentimentos das outras pessoas, tornando-se indiferentes.
Instalando-se assim um processo de progressiva erosão da esfera afetiva nas pessoas que deixam de expressar suas emoções.
Os prejuízos deste embotamento afetivo, provoca graves problemas na esfera pessoal e profissional.
A esse embotamento dos sentimentos, na medida que produz indiferença, impede que germinem interaçoes humanas criativas e construtivas, no trabalho e na vida pessoal.

Pense nisso!

quinta-feira, março 07, 2013

A lei do caminhão de lixo

 
"Um dia peguei um táxi para o aeroporto. Estávamos rodando na faixa certa quando um carro preto saiu de repente do estacionamento direto na nossa frente.
O taxista pisou no freio bruscamente, deslizou e escapou de bater em outro carro, foi mesmo por um triz!
O motorista desse outro carro sacudiu a cabeça e começou a gritar para nós nervosamente.
Mas o taxista apenas sorriu e acenou para o cara, fazendo um sinal de positivo. E ele o fez de maneira bastante amigável.
Indignado lhe perguntei: ‘Porque você fez isto? Este cara quase arruína o seu carro, a nós e quase nos manda para o hospital?!?!’
Foi quando o motorista do taxi me ensinou o que eu agora chamo de “A Lei do Caminhão de Lixo.”
Ele explicou que muitas pessoas são como caminhões de lixo.
Andam por aí carregadas de lixo, cheias de frustrações, de raiva, traumas e desapontamento.
À medida que suas pilhas de lixo crescem, elas precisam de um lugar para descarregar e às vezes descarregam sobre a gente.
Nunca tome isso como pessoal.
Isto não é problema seu! É dele!
Apenas sorria, acene, deseje-lhes sempre o bem, e vá em frente.
Não pegue o lixo de tais pessoas e nem o espalhe sobre outras pessoas no trabalho, EM CASA, ou nas ruas.
Fique tranquilo… respire E DEIXE O LIXEIRO PASSAR.
O princípio disso é que pessoas felizes não deixam os caminhões de lixo estragar o seu dia.
A vida é muito curta, não leve lixo com você!
Limpe os sentimentos ruins, aborrecimentos do trabalho, picuinhas pessoais, ódio e frustrações.
Ame as pessoas que te tratam bem. E trate bem as que não o fazem.
A vida é dez por cento do que você faz dela e noventa por cento da maneira como você a recebe!”
 
 
Arnaldo Jabor

domingo, fevereiro 24, 2013

Entenda um pouco o Estresse Pós Traumático



As consequências da tragédia ocorrida em Santa Maria há cerca de um mês, ainda não podem ser dimensionadas. A banalidade do sofrimento e da violência torna-se cada vez mais nítido como marca dos nossos tempos atuais.

Informações sobre como proceder para atender as vítimas, parentes e pessoas próximas, podem ser encontradas em um protocolo que foi criado pelo hospital das clínica de porto alegre, visando orientar os profissionais. Mais abaixo você pode entender um pouco mais sobre o EPT e também poderá acessar diretamente a página que contém descrito o protocolo.


O transtorno de estresse pós-traumático pode ser entendido como a perturbação psíquica decorrente e relacionada a um evento fortemente ameaçador ao próprio paciente ou sendo este apenas testemunha da tragédia. O transtorno consiste num tipo de recordação que é melhor definido como revivescência pois é muito mais forte que uma simples recordação. Na revivescência além de recordar as imagens o paciente sente como se estivesse vivendo novamente a tragédia com todo o sofrimento que ela causou originalmente. O transtorno então é a recorrência do sofrimento original de um trauma, que além do próprio sofrimento é desencadeante também de alterações neurofisiológicas e mentais.

www.cremers.org.br

domingo, fevereiro 17, 2013

Eu sou quem você pensa que sou


 
Se vc olhar p mim num vazio total, eu serei dessa maneira

Se olhar para mim com ideias na mente, essas ideias vao me colorir

Se se aproximar de mim com preconceito, então serei de outra maneira

Eu sou apenas um espelho, a sua face esta refletida nele

Assim, depende da maneira como me olha

Agora, você tem completa liberdade se quiser saber quem eu sou, você precisa estar tão absolutamente vazio quanto eu

Serão dois espelhos se olhando

Mas se existir em você alguma ideia, então você verá sua própria ideia em mim

 desconheço o autor

quinta-feira, fevereiro 07, 2013

O que vamos fazer antes de morrer?


.
1.    Coragem de dizer tudo que sinto
 
 
 
 
2.    Jogar o miojo no lixo


 

3.    Amar sem medo


4.   Conhecer vários países em um mês

 

5.    Acreditar na minha capacidade
 
 
 

6.    Virar as costas p/ quem não me respeita
 
 
 

7.    Fazer sexo na primeira noite e não sentir culpa depois
 
 

8.    Dizer a ela que a amo e largo tudo para ficar com ela
 

9.    Dirigir um carro em alta velocidade


10.     Pular de bang jump


11.    Surfar


12. Fazer um ano sabático





13. Viajar com o filho a Orlando
 

14.  Deixar o emprego



15. Escolher um país para viver, bem longe daqui
 
 

16.  Coragem para viver um grande amor, sem medo do amanhã
 
 
 
 
17.  Reencontrar uma amiga especial
 

18. Passear pela orla da praia



 
19. Viajar pelo mundo

20.  Ajudar pessoas que necessitam
 
 
 

21. Disfrutar do  trabalho
 
 
      22. Romper tabus e ser um livro aberto



    
Antes de morrer quero ter certeza que fiz o que desejei desse presente chamado VIDA

Os covardes morrem muitas vezes, antes de morrer. (Mahatma Gandhi)




Me chamou a atenção como algumas coisas que vocês escreveram são simples de realizar e outras nem tanto. Mas todas elas, exige de nós coragem!
Cor- agem (agir de coração). Sim, sabe aquela vozinha que fala conosco todos os dias, e tanto fazemos para suprimí-las, pois é, ela é a voz do nosso coração. Não é o ego falando. O ego racionaliza muito!!

O recordista da lista de desejos que foram escritos aqui tem muito haver com a nossa incapacidade em expressar os nossos sentimentos. Sentimos esse medo, pois temos medo da rejeição.
E antes esconder os sentimentos que correr o risco de ser rejeitado. Será mesmo essa a saída?

As circunstâncias globais estão aí o tempo todo nos sinalizando que a vida é a cada dia. E não importa em que fase estejamos, o nível de alegria, os sonhos, os planos... nada. A gente é altamente vulnerável e apenas domina as nossas atitudes de cada dia.
Gastemos o nosso tempo com quem a gente ama, com o que realmente nos importa e fazendo o bem.
Sejamos felizes a cada minuto, vivendo como se não houvesse o amanhã.
 
Fico grata a todos que contribuíram para enriquecer ainda mais esta reflexão sobre a vida.

(Farei um post especial sobre o miojo!! Merece pois, foi muito comentado.)

Constelações Familiares e o poder do AGORA

créditos de imagem para sandragamero.com Se você ainda não conhece a prática das constelações familiares esta é uma excelente oportuni...