domingo, julho 02, 2017

Constelações Familiares e o poder do AGORA

créditos de imagem para sandragamero.com
Se você ainda não conhece a prática das constelações familiares esta é uma excelente oportunidade para que você seja conduzido através desta ferramenta fantástica de autoconhecimento.
Ela atua a partir das nossas histórias e mitos familiares. Ajudando-nos a perceber mais claramente QUEM SOU EU e PORQUE ESTAMOS VIVENDO DE UMA FORMA QUE NÃO GOSTAMOS e até mesmo POR QUE TENHO UM SINTOMA QUE NÃO COMPREENDO ou POR QUE TENHO UM PADRÃO DE COMPORTAMENTO que não gostaria de ter.

As Constelações  Familiares são uma ferramenta poderosa para limpar nosso corpo emocional. Liberam a energia psíquica vinculada a traumas do passado, facilitando nosso processo de vivenciar o poder do AGORA.

A constelação atua sobre nós a partir de imagens que são captadas e processadas pelo nosso cérebro.
Quando o facilitador configura uma constelação utilizando representantes para cada pessoa ou elemento relacionado com o assunto de que se trata, cria-se uma imagem do conflito e da origem do mesmo, seja ele sistêmico ou de nossa biografia atual.
Assim, nos ajuda a VER qual é a verdadeira causa do mesmo e, a partir da imagem vista, iniciar o movimento de cura.

Em um grupo de constelação a cura atua por ressonância, por tanto não só se beneficia aquele que constela, mas também todos os participantes, (representantes e observadores) já que aquilo que você está assistindo também estará sendo processado pelo seu cérebro e se desenvolvendo na sua psique.




segunda-feira, março 24, 2014

Deixa acontecer



é estranho que nós insistimos em amar quem nos magoa e magoar quem nos ama !
ironico não ?! ;8

As coisas acontecem quando você menos espera, as coisas acontecem quando você não as força, as coisas acontecem quando você não está ansiando por elas. 

Osho

quinta-feira, fevereiro 13, 2014

Não existe destino








Após algum tempo de terapia, uma paciente (que me autorizou a dizer isso aqui) de repente teve um insight e dispara a seguinte frase:

"...cheguei a conclusão de que não existe destino..." 

A partir dessa frase tão simplista tente recordar quantas vezes você pensou que as coisas não tinham dado certo porque "simplesmente não era pra ser". 
Acreditar em destino pode nos levar a um certo pragmatismo de estagnação, ou melhor de vitimização

Escuto cotidianamente as pessoas dizerem que não adianta fazer nada pois é o destino delas ter um marido ruim, ou ter um filho problemático, ganhar pouco, ter nascido em uma família desestruturada...
e a lista segue em mais centenas de desculpas.

Mas por que fazemos isso conosco?
Por que temos o costume de lamuriar. A vitimização talvez um dia poderia ser até intitulada como doença porque ela é causadora de inúmeros males emocionais. Preste atenção em você e veja o que você acredita que foi o destino que quis... 
Isso é exatamente o que só você tem a capacidade de mudar para ter uma vida melhor. Ninguém mais pode te ajudar, porque ninguém tem nada haver com o fato de você achar que sofre porque a vida é assim mesmo..

Concluindo o pensamento inicial,
Destino é aquele que você mesmo escreve, todos os dias. Sua vida é exatamente aquilo que você está fazendo dela hoje mesmo. 
Seu sonho só deixará de ser sonho se você começar a trabalhar nele agora mesmo.

Por fim, acreditar que destino não existe é de uma potencialidade maior do que se possa imaginar, pois significa que sou capaz de me oferecer oportunidades e sair de situações que me incomodam no momento em que eu precisar. Significa viver a vida a seu próprio modo.





sexta-feira, janeiro 17, 2014

Onde está sua alma?




Depois de algum tempo sem postagens... por correria de trabalho e vida acadêmica, fiquei pensando o que poderia escrever nesta primeira postagem do ano.

Como estou em stand by esses dias, comecei a me lembrar de um pequeno conto: 

Certo dia, um índio viajou de trem pela primeira vez na vida. Ao chegar ao seu destino, a última estação do trem, ele desceu, se sentou num banco e ali ficou por horas a fio, sem se mover. Um senhor que trabalhava por ali, intrigado com aquele índio sentado há horas no mesmo banco, aproximou-se e perguntou o porquê dele estar ali sem fazer nada. Então, o índio, com aquela calma, típica dos serenos, respondeu que ele não estava sem fazer nada. Que como a viagem tinha sido muito rápida, ele  estava esperando a sua alma, que ainda não havia chegado.

Preste atenção agora nas coisas que você já realizou sem a presença de sua alma. Sem ela não há escolha com lucidez. Há escolha por escolha, ou melhor, escolha sem escolha. E é bem assim que anda o mundo nesses tempos. Escuto as pessoas dizerem que 2013 passou muito rápido. Na verdade ele passou igual, como todos os outros anos, nós é que não temos mais temos tempo de ter tempo para o que realmente importa.

Fazemos tudo de forma bastante automática, desde quando nos levantamos pela manhã até o momento de dormir. Isto sem contar as horas que perdemos respondendo emails, zapeando no facebook, celular enfim...
Mas e nossa alma? Onde ela realmente está?

Então essa é minha expectativa para esse novo ano que se inicia
Que você possa esperar sua alma chegar ao seu corpo, assim como se propôs sabiamente o índio.

Estar mais presente no momento presente.
Estar com a família
Almoço de domingo de longas horas e longas conversas ao redor da mesa
Contar história para o filho dormir
Deixar o celular, internet e TV de lados e sentir mais o presente.
Que na realidade é o único que temos.
O passado já se perdeu.
Do futuro, a incerteza.
Então meus caros
vivamos o presente!
Feliz ano novo!



domingo, setembro 22, 2013

Quem é você? Quem sou eu?




Quero saber qual a sua dor
e se você tem coragem de encontrar o que seu coração anseia. 

Não me importa saber sua idade.

Quero saber se você se arriscaria parecer com um louco por amor,
pelos seus sonhos, pela aventura de estar vivo. 

Não me importa saber quais planetas estão quadrando sua lua. 

Quero saber se você tocou o âmago de sua tristeza,
se as traições da vida lhe ensinaram, ou se você se omitiu por medo de sofrer. 

Quero saber se você consegue sentar-se com as dores, minhas ou suas,
sem se mexer para escondê-las, diluí-las ou fixá-las. 

Quero saber se você pode conviver com a alegria, minha ou sua,
se pode dançar com selvageria e deixar o êxtase preenchê-lo
até o limite sem lembrar de suas limitações de ser humano. 

Não me importa se a estória que você me conta é verdadeira.
Quero saber se você é capaz de desapontar o outro
para ser verdadeiro para si mesmo.

Se pode suportar a acusação da traição e não trair sua própria alma.

Quero saber se você pode ser fiel e conseqüentemente fidedigno. 

Quero saber se você pode enxergar a beleza
mesmo que não sejam bonitos todos os dias,
e se pode perceber na sua vida a presença de Deus.

Quero saber se você pode viver com as falhas, suas e minhas,
e ainda estar de pé na beira do lago e gritar para o prateado da lua cheia…? Sim?! 

Não me importa saber onde você mora ou quanto dinheiro tem. 

Quero saber se você pode levantar depois de uma noite de pesar e desespero,
exausto, e fazer o que tem de fazer para as crianças. 

Não me importa saber quem você é, ou como veio parar aqui. 

Quero saber se você estará ao meu lado no centro do fogo sem recuar.

Não me importa saber onde, o que, ou com quem você estudou. 

Quero saber o que sustenta o seu interior quando todo o resto desaba. 

Quero saber se você pode estar só consigo mesmo
e se verdadeiramente gosta da companhia que carrega em seus momentos vazios. 

sexta-feira, agosto 16, 2013

O que você está esperando?



Estamos sempre esperando que apareça a pessoa certa, ou a situação certa, antes de nos sentirmos bem.
Mas quem determina se é a pessoa ou situação certa?
Quando você se sente bem, quem o está fazendo se sentir bem?
 Você mesmo!
Mas tem uma regra que diz que deve esperar até que A, B ou C ocorra, antes de se permitir sentir bem.
Por que esperar?




 (Anthony Robbins do livro “Desperte o gigante interior”)

domingo, julho 21, 2013

A prisão e a liberdade



Muitas pessoas acreditam que o oposto da paz é a guerra. Mas seu oposto é a estagnação.
A estagnação é uma prisão!
Olhe a sua volta e veja as pessoas correndo de um lado para o outro. O estresse é o mal de nossa sociedade atual. Todos estão correndo, mas não sabem onde irão parar. Pense agora o que realmente importa em sua vida.
Isso é liberdade! Ir ao encontro do que você deseja em teu coração, não importa o que vão dizer, pois no final das contas só vale a sua voz interna, não a do ego, mas aquela que não julga.
Então, abaixe o volume do exterior e aumente o volume do seu coração. 

Constelações Familiares e o poder do AGORA

créditos de imagem para sandragamero.com Se você ainda não conhece a prática das constelações familiares esta é uma excelente oportuni...