Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2011

É hoje

Eu não tenho nada haver com isso

1-Parece estranho, mas é isso que devemos adotar em nossas vidas. Uma atitude de menos preocupação com a vida alheia. Quanto mais isso acontece, mais você se preocupa em fazer de tudo para manter as aparências, mostrar que é bonzinho e merece ser amado. Não seja o que os outros querem que você seja. Você não tem nada haver com o que pensam sobre você. É direito delas gostar ou não do que você é.

2- Assista menos noticiários da TV. Já percebeu as mensagens negativas que recebe diariamente em sua casa, cobertas de medo, terror, pessimismo. Na minha casa não vejo, nem meu filho vê. Por que preciso saber quem matou quem, ou se roubaram isso ou aquilo?

3- Não se culpe, seja cúmplice de si mesmo. Uma coisa é acusarem você de algo, mas você se acusar é inútil, pois dentro de você está guardado seu consolador. Quanto mais culpa, mais dor, menos você irá querer estar sozinho contigo e irá buscar consolo nos outros, se tornará dependente afetivo. Dependente da aprova;cão alheia.

4- Não tente imped…

Não fazer mais nada

“Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue;outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho…o de mais nada fazer.”

Clarice Lispector

Qual sentido do natal?

"Melhor do que todos os presentes por baixo da árvore de natal é a presença de uma família feliz."

desconhecido

Existe Alma Gêmea?

Várias pessoas me escrevem dizendo que tem dúvida acerca do amor de sua vida.
Chamem como quizerem: alma gêmea, amor da vida, o escolhido de Deus...
no fundo a intenção é a mesma.

É incrível como temos dúvidas quando estamos nos relacionando com alguém
Opa! Eu disse DÚVIDA.
Esse já é um sinal.

Dia desses conversava com uma amiga muito querida e ela disse que já havia encontrado com sua alma gêmea, mas que foi no passado, e hoje já tem marido e filhos e, simplesmente, desistiu...

Outra pessoa, também querida, disse que desistiu, pois se ama apenas duas vezes na vida, e não deu certo com ela.. (?)
Me pergunto o que leva sempre alguém a acreditar que não merece usufruir da plenitude de poder vivenciar o poder do amor genuino.
Dizia um terapeuta, mestre Nilton: "Sabe o que acontece quando você encontra sua alma gêmea e não está preparado para ela? Você simplesmente chuta para bem longe."

Pensando nisso trouxe trechos de Cristina Cairo, que é uma estudiosa do assunto:

As pessoas que já enco…

Qual a sua urgência?

"Sou composta por urgências: minhas alegrias são intensas; minhas tristezas, absolutas. Me entupo de ausências, me esvazio de excessos. Eu não caibo no estreito, eu só vivo nos extremos."

(Clarice Lispector)

Por que escolher o caminho mais difícil?

Minha vida está acontecendo por aí em algum lugar sem a minha presença.
Refaço mil vezes a mesma pergunta: por que busco situações, e também pessoas, difíceis para minha vida?
Você já se sentiu sequestrado? Que esta não é a vida que você planejou?
Se pergunta, sempre, se o caminho agora é "aceitar"?
Mas se você aceitar, poderá apenas entrar no caminho da acomodação.
Porisso pare de sonhar acordado.
Simplesmente aja, olhe para frente!
Não dê a ninguém a régua que mede seu valor!
Você não pode desistir, caso contrário, buscará sempre um culpado pelo fato de não ter persistido no seu desejo.

Desocupe a sua casa

"Tem dor que vira companhia. Olhando de perto, faz tempo que deixou de doer, só tem fama, mas a gente não solta. Quem sabe, pelo receio de não saber o que fazer com o espaço, às vezes grande, que ficará desocupado se ela sair de cena. Vazio é também terreno fértil para novos florescimentos, mas costuma causar um medo inacreditável.


Quando, finalmente, criou coragem e deixou de dar casa, comida e roupa lavada para a tal dor, ela desapareceu." Ana Jácomo

O que você faz com seu tempo?

Há um lado meu que pede: “Mande tudo para para o brejo” E outro que ainda insiste: “Mais um pouquinho de paciência, só um pouco mais.
Nisso já se foram 10 anos..

A consciência da morte nos ajuda a viver

Uma das características do ser humano mortal é ter consciência de sua temporalidade. Ele não viverá  para sempre. A morte o acompanha desde o início do caminho.
Este sempre foi um drama terrível para os seres humanos.
Com respeito à consciência da morte, Reich questiona acerca de: por que perdemos a capacidade de nos sentir parte do todo? o que nos impede?
Enquanto o ser humano não se sentir parte do universo, não deixará de destruir a natureza, pois pensamos erroneamente, que não nos afeta diretamente.
Reich afirma que a falta da capacidade de nos sentirmos integrado através da consciência de que somos parte da natureza, ocorre porque, até mesmo nossa chegada ao mundo não foi adequada, isto é, não fomos bem recebidos.
Ao nascermos, somos afetados de diversas formas por agressões externas.
Tiram-nos de nossas mães logo após o parto, para limpar-nos, aplicar remédios, fazer exames, cortam o cordão umbilical antes de parar de pulsar.
Saimos de um ambiente de 36 graus do útero, e assim chega…

Entenda a DEPENDÊNCIA AFETIVA

Todos conhecem a história: eles se conhecem e rapidamente se apaixonam. Vivem um período intenso em que aquele amor parece tudo e a sensação completude, eterna. As diferenças de comportamento e valores não importam, são detalhes frente a tanta sorte. Até que, com a passagem do tempo e o amadurecimento da relação, as diferenças começam a ficar mais acentuadas. A novidade já não é mais tão surpreendente assim, o frio na barriga se dissipa: chegou o cotidiano. E com ele aqueles "detalhes" que pareciam irrelevantes tomam um grande vulto.

Esse parece ser o caminhar de qualquer parceria afetiva iniciada com um belo encontro romântico, correto? Mas e os desfechos possíveis? Bom, são o motivo de inúmeras das mais lindas obras de arte, mas na prática são apenas dois: ficam juntos ou não. Se o casal aqui descrito for composto de duas pessoas adultas e relativamente saudáveis, espera-se que eles sejam capazes de fazer os ajustes necessários para que a relação perdure, negociando seus…

Você consegue ser simplesmente você?

"Até os 29, pensava que minha vida era agradar somente aos outros,
em vão não fui feliz. 
Agora, depois dos 30, decidi experimentar me agradar
e experimentar ser feliz..."











Abandone a necessidade de ser reconhecido

A melhor forma de transformar o comportamento das crianças é elogiar tudo que elas fazem de bom e ignorar seu comportamento negativo. Sabe aquelas crianças e adolescentes mal criadas, ou que vivem com um sintoma ou outro de doença? Certamente o ego delas aprendeu que fazendo boas ações não recebiam reconhecimento, então começam a agir de forma impetulante, insistente, agressivos ou até mesmo ficando doentes gravemente porque assim o ego percebe que recebe atenção e reconhecimento.
Não é de propósito, isso acontece simplesmente por causa de um impulso inconsciente de sobrevivência do ego. Conheço pais que dizem a respeito dos próprios filhos “nossa, meu filho não tem jeito, ele é insuportável” ou ainda “você não sabe porque não está com ele todos os dias, só estou com o pai dele porque não daria conta sozinha”.Imagine que estas crianças foram reforçadas em seu comportamento negativo e assim foram estruturando sua personalidade chamando atenção através do comportamento no qual era atend…

Bipolaridade

Minha bipolaridade não é doença, é escolha. Felicidade demais me enjoa, tristeza demais, hum, não preciso nem explicar. Ser chata faz parte, simpática é necessidade. Ou não, não passo o dia sem um surto de loucura. Tenho uma certa mania de dormir chorando de saudades. Irritante quebra o gelo, grossa impõe autoridade. Sendo infantil deixo de ser chata, sendo madura deixo de ser frágil.

The life is short!!!

"Eu estou vivendo uma coisa muito boa. Aquela coisa que a gente suspeita que nunca vai acontecer. Aconteceu.”



Caio Fernando Abreu





















Des-Apego II

No mural do colégio da minha filha encontrei um cartaz escrito por uma mãe, avisando que estava vendendo tudo o que ela tinha em casa, pois a família voltaria a morar nos Estados Unidos. O cartaz dava o endereço do bazar e o horário de atendimento. Uma outra mãe, ao meu lado, comentou: .........._ Que coisa triste ter que vender tudo que se tem.
.........._Não é não, respondi, já passei por isso e é uma lição de vida.
.
..........Morei uma época no Chile e, na hora de voltar ao Brasil, trouxe comigo apenas umas poucas gravuras, uns livros e uns tapetes. O resto vendi tudo, e por tudo entenda-se: fogão, camas, louça, liquidificador, sala de jantar, aparelho de som, tudo o que compõe uma casa. Como eu não conhecia muita gente na cidade, meu marido anunciou o bazar no seu local de trabalho e esperamos sentados que alguém aparecesse. Sentados no chão. O sofá foi o primeiro que se foi. Às vezes o interfone tocava às 11 da noite e era alguém que tinha ouvido comentar que ali estav…

Sobre mães e filhas - parte II

Pensando a trajetória da relação mãe e filha desde o nascimento da filha até o envelhecimento da mãe, podemos observar que a principio, na infância, a filha vê a mãe como uma musa, ela quer agradar e imitar a mãe em tudo: usa seus sapatos, sua maquiagem e roupas, assim como também, utiliza frases e atitudes que a mãe costuma usar.

 A mãe por sua vez, olha para a filha e vê nesta a realização de seus desejos: trunfos, beleza, inteligência, saúde, riquezas… Porém, o ser humano é um complexo de sentimentos, e por trás desses nobres desejos, escondem-se os maléficos, os temores de que a filha irá superar a mãe em graça, beleza, e sorte na vida.

Assim, como na obscuridade, a filha sente inveja dos poderes da mãe adulta e odeia ser dependente desta, ou teme não alcançar tantas conquistas quanto a sua mãe. Uma vez que, nem mãe nem filha entram em contato com estes sentimentos hostis, eles ficam contidos e reprimidos, e muitas vezes podem vir a tona, explodindo com força total, causando muito …

Sobre mães e filhas - parte I

Várias são as mulheres que se questionam se devem ou não tornarem-se mães. Eu como não sei a resposta, fico aqui com a função de sempre: questionar!
 Mas quero especificamente falar hoje de algo que me assombra, não tanto como no passado, visto que tenho anos trabalhado para melhorar algo que faz parte de minha história pessoal. Algo no qual luto todos os dias..
 mas como definiria esse assunto?
Problemas entre mãe e filha?
 Mas não seria apenas isso.
Trata-se de uma mãe que descontou seus problemas na filha?
Não sei! Hoje, aos 30 anos desisti de entender minha mãe!
Resolvi apenas me entender e me aceitar com toda minha história, tendo ou não uma mãe que me aceitasse. Aliás, hoje isso nem importa tanto mais.
Isso é apenas o pano de fundo, dito isto gostaria de apontar algumas questões à respeito...


Na relação mãe-filha é comum haver uma mistura de identidades, na qual uma compensa as faltas da outra. Por exemplo, se a mãe é infantil, a filha tende a ser mais madura, se a mãe é irresponsável, …

Só sei ser eu mesma


Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das ideias
 mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais
 fortes... tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
 Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
 Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração.
Não me façam ser quem eu não sou.
Não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente.
 Não sei amar pela metade.
Não sei viver de mentira.
 Não sei voar de pés no chão.
Sou sempre eu mesmo, mas com certeza não serei o mesmo para sempre."

Clarice Lispector

Promessas de Casamento

"Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento a igreja, com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre. "Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?" Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

- Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?
- Promete saber ser amiga(o) e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?
- Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?- Promete …

O Prazer de resolver problemas

Seguir ordens é um processo penoso, pois, na maioria das vezes, representa negar nossas necessidades pessoais. Abrir mão do desejo natural de explorar o desconhecido e saber aguardar o momento justo para agir é um desafio constante que teremos que adquirir ao longo de toda nossa vida.
Quando as crianças observam os adultos tendo prazer em resolver problemas, aprendem e experimentam o mesmo prazer ao tentar resolver seus próprios problemas. Se tivermos crescido num ambiente seguro e que, ao mesmo tempo, nos encorajou para seguirmos adiante com nossas iniciativas e riscos pessoais, quando adultos seremos autônomos e, ao mesmo tempo, respeitaremos nossas necessidades naturais de dependência e proteção. Mas, se tivermos sido constantemente desencorajados a explorar o mundo à nossa volta, vamos crescer crendo que somos incapazes e que agir não leva a nada. A dor de ter nossas emoções e necessidades ignoradas ou distorcidas gera uma sensação profunda de inadequação.

Aos cinco …

O que queremos da vida?


Todos nós já nascemos com tudo o que precisamos. Ao longo da vida, fatores externos acabam nos esmagando tentando dizer o quanto não somos bons o suficiente para conseguir realizar o que desejamos.


Por vários motivos, acabamos seguindo passos que na verdade não fomos nós que almejamos, e sim, os outros, pode ser a própria mãe, marido, amigos, filhos, em fim..
Para sermos aceito criamos condições de vida condizentes para manter tudo em uma certa ordem, não decepcionando ninguém...

Mas quem foi que disse que a ordem é o que o seu coração quer.

Existe um estado de alegria pura que ocorre quando você luta para ser quem você é, e faz aquilo que acredita ser o melhor para você,  te deixando no eixo.
Quando não fazemos o que desejamos, permanece um buraco dentro de nós, onde instalam-se depressões, crises de ansiedade, pânico,  insônia, etc.
Porisso analise agora o que é que mais está te afetando, impedindo você de seguir seu destino. Identifique o que é que te empoeira e te faz entristecer.

Sa…

Tenho amigos para saber quem sou

Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, p…

Ser Criança

As crianças são basicamente seres emocionais. Começam a compreender o mundo que as cerca através das emoções. Da mesma forma que ainda no útero o estado emocional da mãe afeta diretamente o bebê, quando nasce a criança sente todas as emoções, expressas e veladas, de seus pais. Algumas teorias acreditam que até os 7 anos, a criança exprime o que a mãe sente, enquanto que dos 7 aos 14 anos ela representa as emoções paternas.

Isso pode significar que alguma emoção enclausurada dos pais serão manifestadas através do processo psicossomático da criança. Gripes, febres, dermatoses, dores abdominais, otites, rinites, pânico, medo, em fim ...
As crianças são os verdadeiros psicólogos da casa. Quando algo não vai bem com a família, ela consegue filtrar como se fosse uma esponja, toda atmosfera de seu meio.
Os pais dificilmente entendem isso, e acabam culpando as crianças.
Sabe quantos nãos uma criança escuta em média, por dia?
Cerca de 1000. E aprende com isso como o mundo é hostil. Onde não se pode…

DesApego

O mundo, a família, os amigos, os mais chegados ou não, dizem- porque também assim ouviram- que devemos ficar mais ativos, cabreiros, com os pés bem atrás, ser trouxa nunca, ser esperto sempre, sem maldade jamais.
Quando você se torna um bom aluno dessa escola: Não vem de garfo que hoje é dia de sopa; você recebe o diploma de ADULTO, crescido, maduro, vivido. Então, para alguns, pode acontecer de que a própria vida nos leve para outros caminhos, de outros mundos, de outros valores, de outras propostas, com uma orquestração totalmente voltada para a eternidade, para a essência espiritual, para um DES- envolvimento.
 Aí vem a entrega/desapego. DES- aprender é muito mais difícil do que aprender. Uma vida de descoberta interna, uma rota de busca interior profunda requer entrega/desapego. Uma simples massagem requer entrega, soltar os músculos. Um abraço precisa disso...Uma sessão de terapia sem entrega se torna conversa fiada. O trabalho de des-construção é muito árduo. Por isso, para entr…

Geração descartável

O que acontece comigo é que não consigo andar pelo mundo pegando coisas e trocando-as pelo modelo seguinte só por que alguém adicionou uma nova função ou a diminuiu um pouco…

Não faz muito, com minha mulher, lavávamos as fraldas dos filhos, pendurávamos na corda junto com outras roupinhas, passávamos, dobrávamos e as preparávamos para que voltassem a serem sujadas. 
E eles, nossos nenês, apenas cresceram e tiveram seus próprios filhos e se encarregaram de atirar tudo fora, incluindo as fraldas. Se entregaram, inescrupulosamente, às descartáveis!
Sim, já sei. À nossa geração sempre foi difícil jogar fora. Nem os defeituosos conseguíamos descartar! E, assim, andamos pelas ruas, guardando o muco no lenço de tecido, de bolso.
Nããão! Eu não digo que isto era melhor. O que digo é que, em algum momento, me distraí, caí do mundo e, agora, não sei por onde se volta.
O mais provável é que o de agora esteja bem, isto não discuto. O que acontece é que não consigo trocar os instrumentos musicais uma…