Pular para o conteúdo principal

Des-Apego II



No mural do colégio da minha filha encontrei um cartaz escrito por uma mãe, avisando que estava vendendo tudo o que ela tinha em casa, pois a família voltaria a morar nos Estados Unidos. O cartaz dava o endereço do bazar e o horário de atendimento. Uma outra mãe, ao meu lado, comentou: .........._ Que coisa triste ter que vender tudo que se tem.
.........._Não é não, respondi, já passei por isso e é uma lição de vida.
.
..........Morei uma época no Chile e, na hora de voltar ao Brasil, trouxe comigo apenas umas poucas gravuras, uns livros e uns tapetes. O resto vendi tudo, e por tudo entenda-se: fogão, camas, louça, liquidificador, sala de jantar, aparelho de som, tudo o que compõe uma casa. Como eu não conhecia muita gente na cidade, meu marido anunciou o bazar no seu local de trabalho e esperamos sentados que alguém aparecesse. Sentados no chão. O sofá foi o primeiro que se foi. Às vezes o interfone tocava às 11 da noite e era alguém que tinha ouvido comentar que ali estava se vendendo uma estante. Eu convidava pra subir e em dez minutos negociávamos um belo desconto. Além disso, eu sempre dava um abridor de vinho ou um saleiro de brinde, e lá se iam meus móveis e minhas bugigangas. Um troço maluco: estranhos entravam na minha casa e desfalcavam o meu lar, que a cada dia ficava mais nu, mais sem alma.
.
..........No penúltimo dia, ficamos só com o colchão no chão, a geladeira e a tevê. No último, só com o colchão, que o zelador comprou e, compreensivo, topou esperar a gente ir embora antes de buscar. Ganhou de brinde os travesseiros.
.
..........Guardo esses últimos dias no Chile como o momento da minha vida em que aprendi a irrelevância de quase tudo o que é material. Nunca mais me apeguei a nada que não tivesse valor afetivo. Deixei de lado o zelo excessivo por coisas que foram feitas apenas para se usar, e não para se amar. Hoje me desfaço com facilidade de objetos, enquanto que torna-se cada vez mais difícil me afastar de pessoas que são ou foram importantes, não importa o tempo que estiveram presentes na minha vida. Desejo para essa mulher que está vendendo suas coisas para voltar aos Estados Unidos a mesma emoção que tive na minha última noite no Chile. Dormimos no mesmo colchão, eu, meu marido e minha filha, que na época tinha 2 anos de idade. As roupas já estavam guardadas nas malas. Fazia muito frio. Ao acordarmos, uma vizinha simpática nos ofereceu o café da manhã, já que não tínhamos nem uma xícara em casa.
.
..........Fomos embora carregando apenas o que havíamos vivido, levando as emoções todas: nenhuma recordação foi vendida ou entregue como brinde. Não pagamos excesso de bagagem e chegamos aqui com outro tipo de leveza.

Martha Medeiros


janela7.jpg



.

Postagens mais visitadas deste blog

Constelações Familiares e o poder do AGORA

Se você ainda não conhece a prática das constelações familiares esta é uma excelente oportunidade para que você seja conduzido através desta ferramenta fantástica de autoconhecimento.
Ela atua a partir das nossas histórias e mitos familiares. Ajudando-nos a perceber mais claramente QUEM SOU EU e PORQUE ESTAMOS VIVENDO DE UMA FORMA QUE NÃO GOSTAMOS e até mesmo POR QUE TENHO UM SINTOMA QUE NÃO COMPREENDO ou POR QUE TENHO UM PADRÃO DE COMPORTAMENTO que não gostaria de ter.
As Constelações  Familiares são uma ferramenta poderosa para limpar nosso corpo emocional. Liberam a energia psíquica vinculada a traumas do passado, facilitando nosso processo de vivenciar o poder do AGORA.
A constelação atua sobre nós a partir de imagens que são captadas e processadas pelo nosso cérebro. Quando o facilitador configura uma constelação utilizando representantes para cada pessoa ou elemento relacionado com o assunto de que se trata, cria-se uma imagem do conflito e da origem do mesmo, seja ele sistêmico o…

O que é o caráter oral?

Quando a cofiança não é adequadamente suprida na infância há uma fixação no caráter oral, assim expressa a bioenergética de Lowen.
Mas o que significa a pessoa de caráter oral?

São pessoas que vão em frente, mas sentem um buraco enorme, acompanhado de uma forte sensação de privação.
De forma inconsciente se recusam a crescer, pois ficam esperando o tinham direito de receber na infância e não receberam. O mundo todo deve algo a ela.

São pessoas que esperam muito que alguém supra suas necessidades de ser feliz, ou que através da compulsão tentam tampar o buraco afetivo.

Dessa forma, acham que deveriam ter um emprego e não que deveriam buscar um emprego.
Tudo deve vir até ela porque ela tem o direito de ser cuidada.

Idealiza a mãe perfeita!
É um indivíduo crítico, exigente, muitas vezes apresetna um caráter opositor.

Não consegue construir (um bebê não precisa construir)
O adulto precisa realizar, mostrar.
É difícil para este tipo de adulto entrar em contato com sua falha básica, pois tem um burac…

Simbologia dos pés

Para Freud, o pé teria um significado fálico e o sapato seria um símbolo feminino. Cabe ao pé adaptar-se ao sapato. Existe até um provérbio que diz: "é preciso encontrar um sapato para o seu pé"
Nesta perspectiva, o pé é um símbolo erótico tanto nos povos primitivos quanto nos civilizados, sendo por vezes considerado um fetiche sexual. Não é atoa que é costume das mulheres enfeitarem tornozelos com jóias.

Não podemos deixar de lembrar do conto da Cinderela, que perde um de seus sapatinhos no baile real. O príncipe, que no baile se apaixonara por ela, vai procurar a dona do sapatinho.
Este mesmo tipo de conto pode ser encontrado nas tradições do Egito antigo. Como por exemplo, a estória da cortesã que teve suas sandálias roubadas por uma águia enquanto tomava banho. A águia levou as sandálias ao faraó, que admirado com o refinamento das mesmas e imaginando os pés que as calçavam, procurou esta moça em todos os lugares do reino e, encontrando-a, desposou-a.
Este mito encontra-se f…