sábado, novembro 10, 2012

O extrovertido e o introvertido


Jung escreveu sobre a tipologia humana que, segundo ele, "tipo é uma disposição geral que se observa nos indivíduos, caracterizando-os quanto a interesses, preferencias e habilidades."

Não há o objetivo de dividir as pessoas em padrões mas pode ser usado como um quadro de referencias.

São várias características descritas por ele mas vou falar somente do extrovertido e o introvertido. Quando esses dois se encontram, caso não entendam as diferenças entre si, pode haver confusão, principalmente se são casais.

Essas atitudes referem-se ao modo como cada um de nós prefere se relacionar com o mundo, o jeito mais confortável.

O Introvertido não é aquele do senso comum, fechado dentro de casa, depressivo.

Ele está preocupado em retirar energia do objeto
enquanto o extrovertido se norteia pelo objeto, amplificando o seu valor.

O introvertido é aquele que quando está muito cansado precisa parar, dormir, ler um livro para recuperar as energias.

Ao contrário, o extrovertido recompõe suas energias saindo, vendo gente, fazendo coisas.

O introvertido foca sua atenção no mundo interno de representações, ideias e sentimentos.

O extrovertido foca sua atenção no mundo externo de fatos, pessoas e coisas.

Acho que não preciso nem dizer qual é a mais valorizada pela nossa cultura ocidental: a extrovertida.


As pessoas valorizam tanto que nem permitir que alguém chore em velório, vivencie o luto, se guarde até passar a dor da perda, nossa sociedade permite.

É muito comum quando há uma dor grande ouvir conselhos de ir ao shopping, a um bar, deixar isso pra lá. Sei que é natural querermos evitar o sofrimento mas fingir que não acontece não quer dizer necessariamente evitar.

Ambas atitudes tem pontos positivos e negativos.


 O Extrovertido foca seu interesse no mundo externo e corre o risco de acomodar-se ao meio e caminhar junto a ele o que pode fazer com que se esqueça de si, desgasta-se exageradamente podendo chegar a um ponto de exaustão.

Ele também precisa usar processos de introversão para não perder o contato com seus sentimentos e pensamentos. Ele tende a ser impulsivo; é sociável, primeiro age depois pensa; reage prontamente aos estímulos externos.

O Introvertido tende a focar sua atenção ao seu mundo interno e isso é bom no sentido que os aspectos subjetivos da realidade são tão reais quanto os aspectos objetivos.


Por isso não podemos ignorá-los. O introvertido não é necessariamente egocêntrico ou egoísta pois a disposição introvertida já existe antes da estruturação do ego.

Ele prefere compreender o mundo primeiro, antes de vivenciá-lo. Ser introvertido não é ser tímido: há extrovertidos que apesar de ficarem bem atentos ao mundo ao seu redor, são timidos pois a timidez tem a ver com o receio do que o outro vai pensar.

Há introvertidos que não tem receio da rejeição de outros. É hesitante e subjetivo; tem postura reservada e questionadora; primeiro pensa depois age.

Enfim, quando conhecer alguém, lembre-se que uma dessas duas atitudes é predominante nesta pessoa. Não que ela não tenha a outra mas com certeza uma predomina. Isso pode explicar muitos dos nossos comportamentos, antes que possamos julgar alguém.

3 comentários:

  1. Muy buen artículo, has realizado una perfecta reflexion des dos carácteres muy diferentes relaccionados entre si.

    ResponderExcluir
  2. Hola Luis!
    Que bueno encontrarte por aquí.
    Sí es importante vermos los otros desde la perspectiva de que todos tenemos una característica diferente!

    Besos!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lorena, boa noite!!
    Bem, essa visão geral é, de fato, extremamente interessante. Introvertidos e extrovertidos parecem duas pessoas que tentaram se equilibrar em alguma linha quase nunca abordada, e um caiu para cá e o outro para lá. E, sendo que as leis fisicas de movimento e repouso são inexoráveis, e que um corpo em repouso tende a ficar em repouso até que sofra alguma ação de movimento, quem caiu para a banda dos introvertidos acaba gostando de ficar deitadinho ali, e o extrovertido da mesma forma, e assim levam a vida. Eu queria protestar e dizer que estou na bendita da linha, e caio para cá ou para lá não por meu tipo, mas conforme o tipo de situação que a vida me coloca, mas talvez Jung me dissesse do além que entre os tipos existe um tipo que faz tipo, e que eu sou do tipo introvertido e que apenas me faço de extrovertido de vez em quando, mas se a pessoa olhar firme por dez segundos, o castelo de cartas desmorona...
    Então, um brinde a um e a outro, e a essa diversidade que nos torna tão especiais em meio a bilhões.
    E um beijo carinhoso
    E doces saudades.
    E doces sonhos.
    Timidamente falando, é claro.
    Lello

    ResponderExcluir

Fico muito feliz de você estar aqui, quando você comenta me deixa ainda mais....

Constelações Familiares e o poder do AGORA

créditos de imagem para sandragamero.com Se você ainda não conhece a prática das constelações familiares esta é uma excelente oportuni...