Pular para o conteúdo principal

Sexo para viagem









Viajar é, às vezes, fantasiar. Fantasias eróticas podem fazer parte do pacote: poder encontrar alguém interessante longe do olho ruim do vizinho, do controle familiar, da própria autocrítica. Não há nada de errado necessariamente com essa fantasia nem com o fato de que ela se realize; pode mesmo tornar-se uma experiência enriquecedora. Lembro bem de uma história significativa. A de um casal, que antes, não era casal, mas que se encontrou como casal, numa química irreversível,  vivendo um belo amor, e que deixou neles, mais do que sexo, uma marca de novas possibilidades de encantos e afeto. Para eles uma emancipação de que a vida urge, e nos sequestra sem sequer estarmos preparados.

Quem nunca assistiu ao filme Antes do Amanhecer?

Assim, um amor de viagem pode significar uma positiva energização das pessoas. Embora, é claro, possa também ser uma experiência desintegradora e negativa. Depende das pessoas envolvidas e de como, portanto, as coisas acontecem.

Neurótica é a polarização, fazer do sexo a única prioridade, única saída -

vou sair por ai porque aqui não posso me soltar. Ou vou sair por ai para transgredir, ser irresponsável já que lá ninguém me conhece.

Viajar é uma experiência rica e complexa.

É sair da toca, do conhecido, e olhar em torno, ver o mundo; é abrir-se para dimensões novas da existência humana. E isto, num certo momento da vida, pode incluir o abrir-se a novas relações amorosas como um fato positivo, enriquecedor.

Num outro vértice, viajar pode desenvolver a capacidade de ficar só, testar seus medos, expor-se ao desconhecido sem ter que se agarrar correndo em outras pessoas. Mostrar-se capaz de sobreviver sem os velhos hábitos.

 Um sujeito viciado em trabalho pode, por exemplo, sentir durante uma viagem as mesmas ansiedades e taquicardias de quem fica sem outras drogas.

Viajar pode ajudar a testar e desenvolver sua independência.

Sair da toca, do conhecido, e olhar em torno, ver o mundo; é abrir-se para dimensões novas da existência humana. E isto, num certo momento da vida, pode incluir o abrir-se a novas relações amorosas como um fato positivo, enriquecedor.
Sentir que seu chão está dentro de você e não num ponto especifico do universo, em algo externo.
É interessante ver como é falar a língua dos outros o dia inteiro, ou descobrir que, infelizmente, nós e eles não rimos das mesmas coisas.

Aprender a compreender a fala e os gestos dos outros nos ajuda a sair do nosso umbigo, enxergar o outro e aceitá-lo. Somos uma comunidade todos vivendo no pequeno planeta terra.

Num certo sentido, viajar nos distingue os répteis.
 O jacaré, por exemplo, só pensa em sobreviver; não fica longe de sua toca, da segurança e proteção. Sua questão existencial é sobreviver. Para nós, humanos, não basta sobreviver.

Queremos também viver. Para isso, às vezes, vale também sair por ai, pelo mundo afora, em busca de aventura.
Viajar, como aliás, toda experiência humana, pode tornar-se uma oportunidade de treino para morrer melhor: se a pessoa consegue sair da toca e viver outros mundos, desapegada de seu habitat conhecido, quem sabe se assustará menos quando até seu corpo não estiver na mala e só restar sua essência fazendo a grande viagem. Viajar é desenvolver a confiança de que a vida pode acontecer onde eu estiver.

Comentários

  1. Anônimo29/7/12

    Nossa, é muito forte isso que vc escreveu... aconteceu comigo. sempre bom poder se dar oportunidades de sair da toca e ver o mundo de outro jeito..

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Pedro31/7/12

    Achei incrível! Vc tá mesmo inspirada! Tá linda!
    beijos
    Pedro

    ResponderExcluir
  4. Anônimo31/7/12

    Viajo diversas vezes e sempre volto diferente!

    ResponderExcluir
  5. Gosto da forma como vc escreveu isso de uma forma tao simples... aproveito p compartilhar q certa vez numa viajem encontrie uma mulher por quem me apaixonei intensamente e qdo voltei achei q era pura fuga... mas aproveito p dizer que estou c ela até hj, e nisso já se passaram 5 anos! Estou muito feliz!

    ResponderExcluir
  6. Bruno31/7/12

    Viajar é deixar a vida acontecer! Gostei muito da sua ideia! Vamos viajar?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Fico muito feliz de você estar aqui, quando você comenta me deixa ainda mais....

Postagens mais visitadas deste blog

Constelações Familiares e o poder do AGORA

Se você ainda não conhece a prática das constelações familiares esta é uma excelente oportunidade para que você seja conduzido através desta ferramenta fantástica de autoconhecimento.
Ela atua a partir das nossas histórias e mitos familiares. Ajudando-nos a perceber mais claramente QUEM SOU EU e PORQUE ESTAMOS VIVENDO DE UMA FORMA QUE NÃO GOSTAMOS e até mesmo POR QUE TENHO UM SINTOMA QUE NÃO COMPREENDO ou POR QUE TENHO UM PADRÃO DE COMPORTAMENTO que não gostaria de ter.
As Constelações  Familiares são uma ferramenta poderosa para limpar nosso corpo emocional. Liberam a energia psíquica vinculada a traumas do passado, facilitando nosso processo de vivenciar o poder do AGORA.
A constelação atua sobre nós a partir de imagens que são captadas e processadas pelo nosso cérebro. Quando o facilitador configura uma constelação utilizando representantes para cada pessoa ou elemento relacionado com o assunto de que se trata, cria-se uma imagem do conflito e da origem do mesmo, seja ele sistêmico o…

O que é o caráter oral?

Quando a cofiança não é adequadamente suprida na infância há uma fixação no caráter oral, assim expressa a bioenergética de Lowen.
Mas o que significa a pessoa de caráter oral?

São pessoas que vão em frente, mas sentem um buraco enorme, acompanhado de uma forte sensação de privação.
De forma inconsciente se recusam a crescer, pois ficam esperando o tinham direito de receber na infância e não receberam. O mundo todo deve algo a ela.

São pessoas que esperam muito que alguém supra suas necessidades de ser feliz, ou que através da compulsão tentam tampar o buraco afetivo.

Dessa forma, acham que deveriam ter um emprego e não que deveriam buscar um emprego.
Tudo deve vir até ela porque ela tem o direito de ser cuidada.

Idealiza a mãe perfeita!
É um indivíduo crítico, exigente, muitas vezes apresetna um caráter opositor.

Não consegue construir (um bebê não precisa construir)
O adulto precisa realizar, mostrar.
É difícil para este tipo de adulto entrar em contato com sua falha básica, pois tem um burac…

Simbologia dos pés

Para Freud, o pé teria um significado fálico e o sapato seria um símbolo feminino. Cabe ao pé adaptar-se ao sapato. Existe até um provérbio que diz: "é preciso encontrar um sapato para o seu pé"
Nesta perspectiva, o pé é um símbolo erótico tanto nos povos primitivos quanto nos civilizados, sendo por vezes considerado um fetiche sexual. Não é atoa que é costume das mulheres enfeitarem tornozelos com jóias.

Não podemos deixar de lembrar do conto da Cinderela, que perde um de seus sapatinhos no baile real. O príncipe, que no baile se apaixonara por ela, vai procurar a dona do sapatinho.
Este mesmo tipo de conto pode ser encontrado nas tradições do Egito antigo. Como por exemplo, a estória da cortesã que teve suas sandálias roubadas por uma águia enquanto tomava banho. A águia levou as sandálias ao faraó, que admirado com o refinamento das mesmas e imaginando os pés que as calçavam, procurou esta moça em todos os lugares do reino e, encontrando-a, desposou-a.
Este mito encontra-se f…