sexta-feira, maio 18, 2012

A dupla transferência

Um casal já maduro estava participando de um curso de desenvolvimento pessoal. Na primeira noite a mulher sumiu. Só reapareceu na manhã seguinte, quando postou diante do marido e lhe disse: "passei a noite com meu amante".

Com outras pessoas essa mulher se mostrava atenciosa e interessada. Só diante do marido ficava fora de si. Os outros não conseguiam entender. Por outro lado, o marido também não conseguia se defender.

Apurou-se durante o curso que essa mulher, quando criança, era mandada para o campo com a mãe e os irmãos, durante o verão, por ordem do pai. Ele ficava na cidade com sua amante e, às vezes ia com ela visitar a família. E sua mulher os servia, sem queixas nem recriminações. Ela reprimia sua raiva e sua dor, e os filhos percebiam isso.

Essa atitude, que alguns chamariam de virtude heróica, tem um péssimo efeito. Pois, nos sistemas humanos, a raiva reprimida volta à tona mais tarde, justamente nas pessoas que menos podem defender-se contra ela. Na maioria das vezes, nos filhos ou netos, eles sequer chegam a tomar consciência disto.

Nesse caso houve um duplo deslocamento da emoção reprimida.
Em primeiro lugar, para um outro sujeito: da mãe para a filha.
Em segundo, para um outro objeto: o pai culpado para o marido inocente. Tornou-se vítima a pessoa menos apta a se defender, porque amava a ofensora.

Portanto quando os inocentes preferem sofrer a agir, aumenta o número de vítimas inocentes e de ofensores culpados, perpetuando-se o ciclo de sofrimentos.

Em nosso exemplo, asolução teria sido que a mãe da mulher se zangasse abertamente com o marido. Aí ele seria obrigado a tomar uma atitude, o que levaria a um recomeço ou a uma clara separação.

Nesse caso, demonstra-se ainda que quando a filha  vinga a mãe, ama não somente a ela, mas também ao pai. Pois ela o imita, agindo com o marido da mesma forma que o pai agia com a mãe.

Esse é um dos exemplos do que o trabalho de constelação familiar desvenda.
Culpa e inocência nos relacionamentos
por Bert Hellinger

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muito feliz de você estar aqui, quando você comenta me deixa ainda mais....

Deixa acontecer

As coisas acontecem quando você menos espera, as coisas acontecem quando você não as força, as coisas acontecem quando você não está an...