terça-feira, agosto 14, 2012

Despir-se de si mesmo..


Cada individualidade é uma manifestação do viver total: é preciso buscar o que é comum e o que é especifico, sendo assim é essencial o constante retorno da parte ao todo e vice-versa.
Compreensão não é um procedimento fechado: nada pode ser entendido de uma só vez e de uma vez por todas.

Psicoterapia nesse sentido revela-se um processo artesanal, onde não há observador imparcial, o investigador é parte da realidade que investiga.
Pensando sob o ponto de vista que a psicoterapia é por si só um processo dialético, que se torna a arte de pensar, interrogando, buscando ao mesmo tempo o consenso e as contradições. Não existem generalizações, considerando que desde o primeiro encontro se revela em permanente desenvolvimento, ao mesmo tempo parte de uma verdade maior.

Metodologicamente é necessário desvendar as múltiplas relações das coisas entre si, que elege a intersubjetividade como chão de análise; as contradições internas dos fenômenos apresentados pelo paciente, cliente, como queiram.

Algumas pessoas me perguntam como sei se a pessoa está mentindo ou não, sendo que para  a psicoterapia, na perspectiva fenomenológica, o contexto da experiência é também o lugar da falsidade fática.  Há para o terapeuta a necessidade de ir além da história pessoal e demarcar o contexto sócio-histórico que se insere aquela vida que ali se apresenta a ele.

Sendo assim, a mentira é também parte da história daquele que se apresenta, pode representar uma verdade inconsciente, um desejo, uma pulsão.

Para compreender o outro tem que se despir de si mesmo, sem haver uma verdade pronta e ter disposição e capacidade de se surpreender. A princípio não interpretar e sim escutar, porisso a psicoterapia é a arte de desenvolver constantemente a empatia.

Busca-se sentido e não a verdade essencialista...
Postura de respeito: exige um teor de racionalidade nos contextos e atores analisados, entendendo a linguagem como espaço de consensos e contradições onde se estabelecem diferenças, contrastes, dissensões e rupturas de sentido.

Na psicoterapia, ou processo psicoterapêutico  Liberdade e necessidade se  condicionam mutuamente

Sendo assim a psicoterapia, na perspectiva fenomenológica, é um espaço que pretende Superar a dicotomia entre estrutura e sujeito, entre qualidade e quantidade, entre objetividade e subjetividade.

Um comentário:

  1. Anônimo16/8/12

    Ser terapeuta é uma arte! mto bom o texto!!!

    ResponderExcluir

Fico muito feliz de você estar aqui, quando você comenta me deixa ainda mais....

Deixa acontecer

As coisas acontecem quando você menos espera, as coisas acontecem quando você não as força, as coisas acontecem quando você não está an...